Denúncia grave

Na reunião ordinária da última segunda-feira (26), o vereador Oscar Luiz Lopes (MDB) fez uma denúncia gravíssima na tribuna da Câmara Municipal: segundo ele, um fato que poderia ser considerado grotesco está prejudicando os ceramistas e outros empresários do Vale que transportam cargas no sentido norte da BR 101. E é caso de polícia, literalmente falando.

4224708

Oscar revelou que empresários do Vale, principalmente os ceramistas, estariam reivindicando a realização de uma reunião especial com as lideranças regionais para tratar do assunto, relacionado ao abuso de autoridade de um patrulheiro da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que eles chamam de “Japonês”.

“Ele é baixinho, miudinho, nem tamanho de policial não tem” declarou o parlamentar.

O caso estaria ocorrendo na BR 101, no posto da PRF de Itapema, onde o citado patrulheiro trabalha. Ele estaria perseguindo os caminhões carregados com produtos cerâmicos, mandando muitos pararem e ordenando o retorno pelo túnel antes do Morro do Boi, a fim de pesarem as respectivas cargas na balança localizada a mais de dois quilômetros de distância, a Oeste da rodovia. Às vezes os caminhoneiros são obrigados a retirarem uma quantia bem pequena de tijolos, lajes ou telhas, chamarem outro veículo da empresa para remover o material e depois assinarem o recebimento de duas ou três multas.

A recorrência desta perseguição estaria motivando os ceramistas a passarem por Brusque e se dirigirem até Itajaí para acessarem a BR 101, aumentando em quase 50km o percurso. Além de propor a realização da citada reunião com os empresários, o vereador solicitou o encaminhamento de correspondência aos superiores do famoso patrulheiro relatando a situação.

8 thoughts on “Denúncia grave

  1. Esses caminhões estão sempre com excesso de peso, o que gera risco a segurança na estrada. Pena que só tem um policial assim na região, que faça sua obrigação com empenho. E só pra constar, o tal policial conduz até a balança caminhões com cargas de cimento, lenha, aterro… Então não se trata de perseguição como parece dar a entender no texto.

  2. Queria esclarecer ao Sr. Jornalista que a limitação do peso dos veículos foi adotada a nível nacional porque os caminhões tem um limite de capacidade de frenagem. Logo, quando um caminhão trafega com excesso de peso ele não conseguirá realizar a frenagem do veículo em caso de necessidade. Portanto as empresas que praticam tal crime (o excesso de peso) colocam em risco a vida de todos os cidadãos que trafegam na rodovia, além do próprio caminhoneiro, somente pela ganancia de obterem maiores lucros ilicitamente. Além a Sra. Dilma, quando Presidenta, sem nenhum estudo científico, aumentou esses limites permitidos por lei. Ou seja, o mesmo caminhão passou a trafegar com pesos acima de sua capacidade. A lei considera uma tolerância (além do permitido pela Dilma) de mais 7,5% sem que a empresa seja multada. Não para por aí.A lei só determina o transbordo da mercadoria quando o caminhão ultrapassa em mais 12,5% a capacidade autorizada pela Dilma. Além disso quem multa é a ANTT e não a Policia Rodoviária Federal, que só traz o caminhão até a balança. Então os cidadãos de bem só podem agradecer a esse policial rodoviário federal, que cumpre seu dever e garante a segurança na BR 101.

  3. Sr. Leopoldo, sei que apenas noticia fatos, ainda que sem comprovar a veracidade dos mesmos. Por isso tomo a liberdade de esclarecer alguns fatos: Os citados ceramistas (injustiçados, segundo seu texto)são empresários que julgam-se acima da lei. Burlan a fiscalização orientando seus empregados a fugirem das balanças e por conta disso fazem trajetos mais longos. Quanto a serem detidos no sentido norte da rodovia e obrigados a retornar para pesagem, deve-se ao fato que neste sentido da rodovia não há balanças e por isso “acham” que podem trafegar com o peso que bem entendem. Quando o sr cita a retirada de pequenas quantidades , devo informa-lo que são entre 10 e 17 toneladas, como ocorreu no dia de ontem, ou seja caminhões pequenos transportando carga de bitrem. Esqueci de informa-lo que as multas as quais o Sr se refere, são pela péssima conservação dos veículos, falta de lona ou grades de proteção, falta de faixas refletivas, pneus carecas, dentro outros. Se em cada posto da PRF existisse um “japonês”, certamente salvariam-se muitas vidas em nossas rodovias.

  4. Burlar a lei, causar acidentes devido ao excesso, destruir as vias publicas ocasionando o aumento do valor do pedágio pode, só não pode ser punido, porque dai é perseguição, mais o pior de tudo é um vereador usar a tribuna da câmara pra defender infratores, é por causa de pessoas assim que o Brasil não vai pra frente, isso é vergonhoso.

  5. INFRAÇÕES – CÓDIGO DE TRANSITO BRASILEIRO – LEI 9.503/97

    PESO BRUTO TOTAL – ART.231,V
    EXCESSO EM EIXO – ART. 231, V – RES. 258/07 CONTRAN
    CAPACIDADE MÁXIMA DE TRAÇÃO – ART. 231,X
    FUGA DE BALANÇA – ART.209

    EXCESSO DE PESO

    CAUSA ACIDENTES
    DIMINUI A QUANTIDADE DE FRETES
    PREJUDICA QUEM ANDA CERTO
    COMPROMETE A DIRIGIBILIDADE DO VEÍCULO
    COLOCA EM RISCO OUTROS USUÁRIOS DA RODOVIA
    DANIFICA E DIMINUI A VIDA ÚTIL DO VEÍCULO
    AUMENTA O GASTO COM COMBUSTIVÉL E MANUTENÇÃO
    DANIFICA A RODOVIA

  6. O problema não é o japonês e sim os infratores excesso de peso é um problema grave e traz grande risco ,compromete e muito a segurança nas rodovias por isso ande com o peso certo que não será notificado.

  7. É excesso de peso e quase nada desses caminhões, por causa de 30 quilos já vi caminhão fica detido o dia todo, tbm não destrói rodovias, a má qualidade das rodovias sim, a imprudência de carros menores é que põem a sua própria vida em risco

  8. Que publicação absurda!
    Os coitadinhos empresários ceramistas se fazem valer da rotineira abuso de concorrência desleal com os que trabalham para uma sociedade do “Bem”
    Se transforman em delinquentes infratores para se beneficiar com maiores lucros e travar a economia com um todo. Mais frete repercute em mais custos, porém,para uma oferta do seu produto,ou ele diminui seus lucos ou otimiza sua produção que repercute numa cadeia de benefícios a todos. Desde a melhorias na sua fábrica com contratação de mais funcionários ou equipamentos mais eficiêntes,movimentando toda economia. Sem contar em deixar de colocar em risco ao trânsito, a sociedade toda como um todo e a depreciação da rodovia,estardas,ruas. Pois eles não só danificam rodovias mas as que mais sofrem são as ruas das cidades que eles vão descarregar seus produtos e que não estão preparadas para tanto excesso.
    Lembrem: “Nimguém esta acima da LEI”
    E o Tal Vereador! Devia se envergonhar ,pois foi eleito para defender a “Sociedade” em que vive!

Deixe uma resposta para Solange Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>