Não perca a entrevista com o Tem

maxresdefaultHoje, a partir das 11h, entrevista AO VIVO, com transmissão em tempo real, com o secretário municipal de saúde, Vilson José Porcíncula, o Tem, acompanhado pelo vereador Rudnei de Amorim. Em pauta assuntos pertinentes a pasta, abordando temas como os mais de 14 meses de gestão, realizações, ações, iniciativas, infraestrutura e logística, contingente humano, projetos, parcerias, situação da frota, volume de atendimentos diários na cidade, recursos repassados ao hospital, Centro Especializado em Odontologia (CEO), programa ESF, concursos públicos e a decisão unilateral do fechamento da maternidade Chiquinha Gallotti.

Não esqueça, é hoje, a partir das 11h, na TV Razão.

Prêmio para a melhor ideia

Em 1993, com o auxílio do arquiteto da Prefeitura, Romeu José dos Santos e o engenheiro Valério Tomazi, o então vereador Neri Martins apresentou um projeto ao Parlamento tijucano, delimitando os bairros e as localidades do município. O objetivo foi disciplinar a bagunça dos valores injustos das passagens de ônibus. Quem embarcava, por exemplo, em Oliveira, Campo Novo ou Terra Novo pagava o mesmo valor.

O tempo passou, a cidade começou a crescer em velocidade vertiginosa, surgiram vários loteamentos e alguns outros estão em fase de licenciamento. A previsão é de que até o início de 2019 estejam à venda em Tijucas mais de 15 mil lotes no perímetro urbano. É terra que não acaba mais.

Os vereadores Esaú Bayer e Fernanda Melo Bayer decidiram fazer uma enquete para adequar uma situação que muita gente ainda não percebeu: o agigantamento dos bairros Universitário e XV de Novembro, bem como a indiscutível expansão do Jardim Mata Atlântica. A ideia é encontrar uma denominação para um novo bairro, que envolveria o limite urbano do noroeste de Tijucas, fundos do XV de Novembro e do Universitário, atém de todo o Mata Atlântica. O casal sorteará um prêmio especial entre quem participar da enquete. Basta enviar um e-mail para [email protected], deixando eu nome e uma sugestão de denominação para o novo bairro que se criará à direita da via P4 (sentido Quinze-Terra Nova). As melhores sugestões passarão para uma fase final, afim de que os internautas escolham o nome que constará no projeto de lei a ser apresentado por Fernanda e Esaú ao Legislativo tijuquense.

A expectativa é definir e divulgar o nome do novo bairro durante as festividades dos 158 anos de Tijucas.

É verdade

f99f44c9-a490-404f-ae3e-95d4619b798f

Conversei há instantes com o meu amigo Márcio Rosa, que no dia de hoje (15) está de aniversário, completando 54 verões. Doutor Márcio encontra-se no Rio de Janeiro curtindo uma miniférias, acompanhado pela sua cara-metade Carina Desidério. Após felicita-lo fiz a pergunta que a cidade inteira aguarda uma resposta: perguntei a ele se procede a notícia de que o julgamento dos vereadores e servidores da Câmara Municipal envolvidos na Operação Iceberg, que indiciou uma porção de gente do Poder Legislativo por receberem diárias ilegais, seria mesmo no dia 16 de maio próximo. O conceituado advogado me disse o seguinte:

“A informação é equivocada. No dia 16 de maio, na sala do júri da Comarca de Porto Belo, a justiça iniciará a fase de depoimentos das testemunhas de acusação e defesa, um procedimento que pode se arrastar por meses. Por enquanto não existe nada de julgamento”

Segundo Márcio Rosa, o processo da Operação Iceberg já tem mais de duas mil páginas e para cada depoimento os representantes do Ministério Público e Judiciário terão que na melhor das hipóteses, fazer a leitura de algumas páginas relativas aos depoentes. Mesmo assim, o Doutor Márcio acredita que o episódio será concluído ainda neste ano.

“Eu defendo 33 dos cerca de 46 vereadores e servidores injustamente acusados de um crime que não existiu e estou convicto de que todos os meus clientes serão absolvidos”, finalizou.

Alerta para coqueluche/tosse comprida

coqueluche

Os serviços públicos de saúde não se manifestaram, mas existem pais preocupados com os rumores de que haveria em curso uma crescente incidência de casos de tosse comprida, mascarando uma suposta epidemia de coqueluche. A orientação é para ninguém se alarmar por enquanto, no entanto não custa se prevenir.

Faço aqui um relato: Uma criança há semanas vem sentindo falta de ar, por 22 dias ficou em estado crítico, e precisou ser conduzida e entubada para receber oxigênio. E nada foi divulgado.

A coqueluche, também conhecida como tosse comprida, é uma doença infectocontagiosa aguda que atinge o sistema respiratório. É geralmente marcada por uma tosse severa e seca, seguida por uma ingestão aguda de ar que soa como “grito”.

Fazia 20 anos que essa doença não se manifestava, no entanto há vestígios preocupantes de que ela está de volta.

Sônia Umberlino – Tijucas

Falando sério

maxresdefault

       Quem acompanha o trabalho da hoje “Rede Razão” (jornal impresso, jornal online, Web TV e Rede Catarinense de Notícias) sabe que no Carnaval iniciamos as nossas transmissões ao vivo pela TV Razão, que traz a cobertura de eventos e entrevistas em tempo real. O grande objetivo desse novo serviço é permitir que os internautas possam interagir conosco nessas transmissões, enviando e-mails, mensagens pelo whatsapp, comentários via Facebook ou mesmo telefonemas apresentando perguntas, denúncias, críticas, elogios ou outras manifestações que dependendo do tempo disponível, poderão ser usadas durante a transmissão.

Na quinta-feira, dia primeiro de março, conversamos com Vagner dos Anjos, administrador do Hospital São José de Tijucas, que informou, em primeira mão, que a Maternidade Chiquinha Gallotti estaria encerrando à meia-noite daquele dia os serviços de obstetrícia, por intermédio do SUS, plano de saúde ou particulares, por uma série de circunstâncias como ocorreu essa situação, a responsabilidade recaiu sobre o secretário municipal de Saúde, Vilson José Porcíncula, o Tem, que já sabia desde maio de 2017 o que estava para acontecer. Durante toda esta semana tentamos contato com o secretário Tem, visando convida-lo a apresentar um contraponto através da TV Razão, no entanto ele não nos atendeu. A diretoria de comunicação da Prefeitura foi informada do nosso convite e respondeu que a Administração não havia necessidade de prolongar o debate em torno deste tema. Cabe a nós então relatar aos nossos leitores que o Jornal Razão fez a sua parte.

Na verdade não conhecemos em profundidade a real situação da saúde do município, uma vez que o secretário Tem não quer aproximação com a imprensa, chegando ao cúmulo de proibir seus assessores mais próximos de darem entrevistas ou fornecerem as informações que rotineiramente procuramos. O que fizemos na semana passada foi dar a nossa opinião sobre providências que já deveriam ter sido adotadas e que até hoje não foram implementadas. A negativa do secretário Tem em nos atender não influenciará a nossa conduta em outras questões envolvendo a saúde, sempre procurando dar ciência à comunidade sem muito opinar, sem sofrer a influência do Direito Constitucional de livre expressão da palavra. Este é o nosso dever.

Nunca tive interesse pessoal em apontar erros dos outros, principalmente de pessoas como o Tem, de quem sempre fui amigo. Jamais fiz qualquer coisa contra a sua pessoa, no entanto há quase 23 anos não é mais nosso, ele pertence aos leitores, anunciantes e ao grupo de editores que aqui trabalha. São eles que tem a prerrogativa de colocar em debate temas de interesse da coletividade, muito em especial quando se trata de um caso sério como o fechamento da única maternidade da região, uma entidade que durante décadas serviu a população do Vale, Governador Celso Ramos e Costa Esmeralda.

Na segunda-feira (05), no programa comandado pelos vereadores Rudnei de Amorim e Juarez Soares, levado ao ar pela Rádio Comunitária de Tijucas, a Primeira FM, ouvi o prefeito Elói Mariano Rocha declarar que a comunidade não precisa se preocupar com a situação da maternidade e que nenhuma gestante da cidade ficará sem condições de realizar o seu parto. Não sei como será feito, mas a palavra do Professor Elói tem que sempre ser recebida com credibilidade. Tomara que seja assim.

Por outro lado, o chefe do Executivo Tijuquense precisa tratar pessoalmente de outros dois problemas de urgente necessidade: a possibilidade de fechamento do Centro Especializado em Odontologia (CEO), por conta da falta de material para os profissionais que trabalham naquele local, e da imediata criação do Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS), que permitirá a ampliação de oito para até 24 vagas no novo setor de Saúde Mental do Hospital São José de Tijucas. São leitos que atenderão pelo Sistema Único de Saúde (SUS), inclusive dependentes químicos.

Será lastimável se essas providências não forem urgentemente adotada.

Convite para o contraponto

Sem Título-1

Nesta segunda-feira (05) a direção do Jornal Razão encaminhou expediente à Diretoria de Comunicação, Chefia de Gabinete e ao próprio gabinete do prefeito Elói Mariano Rocha, informando que estávamos oferecendo um espaço para o contraponto, ou seja, a versão da Secretaria Municipal de Saúde sobre o fechamento da Maternidade Chiquinha Gallotti. Disponibilizamos o mesmo espaço concedido à Direção do Hospital São José. Tentamos contato com o secretário Tem, porém ele nos bloqueou no seu celular e através do telefone fixo não no atende.

Fizemos isso para que não sejamos acusados de propagar uma versão unilateral, o que significa que estamos dando ao secretário o “direito de resposta”. O convite permanecerá em aberto até a tarde de sexta-feira (09).

Problema de saúde pública

Sem Título-1

Todo mundo quer saber o que houve entre mim e o Tem, tendo em vista a nota que publiquei no meu blog, antecipando a notícia de que a Maternidade Chiquinha Gallotti doravante só atenderá os serviços de parto normal ou cesariana de quem fizer o pré-natal com os médicos credenciados. Não houve nada, porém explico minha postura: você daria um carro novo, com o tanque cheio, para ser dirigido por alguém que nunca pegou no volante? É claro que não. O que aconteceu é que eu acho que o Tem não tem experiência, competência, habilidade e jogo de cintura para cuidar da saúde de uma população de quase 37.000 habitantes. Quem você acha que “tem” “razão”, o “Tem” ou o “Razão”?

Denúncia grave

Na reunião ordinária da última segunda-feira (26), o vereador Oscar Luiz Lopes (MDB) fez uma denúncia gravíssima na tribuna da Câmara Municipal: segundo ele, um fato que poderia ser considerado grotesco está prejudicando os ceramistas e outros empresários do Vale que transportam cargas no sentido norte da BR 101. E é caso de polícia, literalmente falando.

4224708

Oscar revelou que empresários do Vale, principalmente os ceramistas, estariam reivindicando a realização de uma reunião especial com as lideranças regionais para tratar do assunto, relacionado ao abuso de autoridade de um patrulheiro da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que eles chamam de “Japonês”.

“Ele é baixinho, miudinho, nem tamanho de policial não tem” declarou o parlamentar.

O caso estaria ocorrendo na BR 101, no posto da PRF de Itapema, onde o citado patrulheiro trabalha. Ele estaria perseguindo os caminhões carregados com produtos cerâmicos, mandando muitos pararem e ordenando o retorno pelo túnel antes do Morro do Boi, a fim de pesarem as respectivas cargas na balança localizada a mais de dois quilômetros de distância, a Oeste da rodovia. Às vezes os caminhoneiros são obrigados a retirarem uma quantia bem pequena de tijolos, lajes ou telhas, chamarem outro veículo da empresa para remover o material e depois assinarem o recebimento de duas ou três multas.

A recorrência desta perseguição estaria motivando os ceramistas a passarem por Brusque e se dirigirem até Itajaí para acessarem a BR 101, aumentando em quase 50km o percurso. Além de propor a realização da citada reunião com os empresários, o vereador solicitou o encaminhamento de correspondência aos superiores do famoso patrulheiro relatando a situação.